sexta-feira, 18 de novembro de 2016

NÃO ENDUREÇAMOS OS CORAÇÕES, MAS OUÇAMOS A VOZ DE DEUS!


Nos momentos de provação, de tentação, ouçamos a Palavra de Deus: “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações, como aconteceu na provação, no dia da tentação, no deserto, onde vossos pais me tentaram, colocando-me à prova, embora vissem as minhas obras, durante quarenta anos” (Hb 3, 7-10a). Como o Povo de Deus no deserto, que durante quarenta anos viram os milagres e prodígios, também vimos as obras do Senhor. Certamente, em nossas vidas experimentamos várias manifestações de Deus em nossas vidas. Vimos o Senhor realizar milagres e prodígios e não podemos esquecer disso. Não podemos fechar os nossos corações para a ação de Deus, pois esta é dinâmica, que realiza-se continuamente em nossas vidas. Por isso, precisamos abrir o nosso coração para o Espírito Santo, para que escutemos a voz do Senhor.


No deserto, o Povo de Deus estava sendo preparado para entrar na Terra prometida, onde corre leite e mel (cf. Ex 3, 8). Todas as provações, sofrimentos, penúrias que o Povo de Israel passou na sua longa jornada pelo deserto foi um tempo de provação, de preparação para experimentar tudo que o Senhor prometeu àquele povo. Porém, esse aquele Povo não entendeu que precisavam confiar no Senhor, ainda que naquele deserto parecesse que não havia mais esperança. Por causa da sua falta de fé, eles acabaram não entrando na Terra que Deus queria lhes dar. Somente a descendência daquele Povo, liderada por Josué, entrou na Terra Prometida (cf. Js 1, 1ss).

Não fechemos o nosso coração, mas, ao contrário, ouçamos a voz do Senhor. Abramos o nosso coração, pois, disse o Beato João Paulo II, “a pior prisão é um coração fechado”. Confiemos nas promessas de Deus, ainda que estas pareçam irrealizáveis. Pois, Ele cumpre as suas promessas, ainda que não da forma como nós entendemos. Por isso, se não compreendemos a ação de Deus, não nos desesperemos, mas confiemos nas promessas do Senhor e esperemos a realização destas. Não nos deixemos abater, mas ao contrário, nos animemos uns aos outros (cf. Hb 3, 13) no Senhor.

Hoje, Jesus quer nos reanimar pelo Seu Espírito Santo, com o fogo abrasador que nos purifica de todo o pecado e nos fortalece nas provações. Por isso, nos unamos a Virgem Maria, aquela que é cheia do Espírito, em oração e em ação de graças. Nos unamos a ela em oração para que não nos desviemos da vontade do Senhor, mas também em ação de graças por tudo aquilo que Ele já realizou em nossas vidas. Agradeçamos a Nossa Mãe Santíssima por todas as lepras das quais fomos curados (Mc 1, 40-42), pelos nossos pecados que foram perdoados por um alto preço, pelo derramamento do precioso Sangue do seu Filho Jesus Cristo.

Assim, de coração aberto ao Senhor Jesus, que nos deu o Seu Espírito, escutemos a Sua voz. Deixemo-nos encher de esperança pela fé na Palavra de Deus, nas promessas que Ele nos fez e que ainda não se realizaram. Mas, ao mesmo tempo, demos graças a Deus por todas as obras que Ele já realizou em nossas vidas. Confiemos no Senhor e deixemo-nos conduzir pelo Espírito Santo, sempre unidos em oração com Maria, a Mãe da Igreja. Pois, da mesma forma que ela permaneceu até o fim junto do Filho (cf. Jo 19, 25-27), ela está conosco até o fim de nossas jornada, até a nossa entrada definitiva da Terra Prometida, na Jerusalém Celeste, no Reino dos Céus. 
Fonte: Canção Nova
Próximo Artigo Próxima Publicação
Post Anterior Próximo Post
Próximo Artigo Próxima Publicação
Post Anterior Próximo Post
 

Por FeedBurner (Seguro e simples)